Início » Sessão Classic 6: Crash Bandicoot (1996)
Destaque Sessão Classic

Sessão Classic 6: Crash Bandicoot (1996)

 

Esse é clássico! Ô, e como é! Quem nunca colocou as mãos em um único game sequer da franquia “Crash Bandicoot” não sabe o que é revolução no quesito aventura para os consoles. Horas e horas de jogatina totalmente dedicadas a este game não podem ser nunca consideradas perdidas. Criado por Andy Gavin e Jason Rubin, o carismático Crash, uma espécie marsupial geneticamente modificado, mostrou toda sua força e humor ao enfrentar por diversas vezes o maléfico cientista Neo Cortex nas fictícias Ilhas N. Sanity. Era a Naughty Dog (produtora da recente franquia “Uncharted“) nascendo para o sucesso absoluto.

Crash é considerado um dos mais carismáticos personagens da história dos videogames

Lançado no PlayStation a pedido da Sony, que queria um novo mascote para bater de frente com Mario (Nintendo) e Sonic (SEGA), “Crash Bandicoot” era um game bem avançado para a época pois trazia estágios bem grandes e cheios de desafios diferentes, inimigos e  designs.Os cientistas loucos Nitrus Brio e Neo Cortex planejam transformar animais em mutantes para criar um exército particular e dominar o mundo. Eles planejam usar a máquina Cortex Vortex para transformá-los, porém, segundo Nitrus Brio, a máquina ainda estava incompleta. Neo Cortex tem pressa e insiste em usá-la logo.Eles acabam capturando um marsupial (Crash) para fazer um teste. Como previsto por Nitrus Brio, o experimento falhou, e Crash não adquiriu maldade. Em um momento de distração Crash consegue fugir, mas acaba deixando a sua namorada Tawna para trás. Tawna acaba sendo aprisionada e alterada por Neo Cortex. Agora cabe a Crash retornar ao Castelo e tentar resgatar sua namorada e os outros animais em perigo.

Ninguém aguentava ficar mais que cinco minutos com Aku Aku equipado no Crash

Crash deve se aventurar por várias fases de ambientes limitados. Espalhadas pelas fases, há o que se chama de “Frutas Wumpa” (que parece uma mistura de maçã, pêssego e manga), uma fruta típica que há nas ilhas. Pegando 100, Crash ganhará uma vida extra. Em toda fase (tirando os chefes) há caixas a serem quebradas. Elas podem conter frutas Wumpa, vidas ou a máscara Aku Aku. Essa máscara impede que Crash morra quando for atacado por um inimigo, e se pegar três, ganhará invencibilidade temporária (a não ser a quedas), e se Crash for atingido por algum inimigo quando não estiver com a máscara, ele morrerá de uma maneira cômica.Há também caixas de dinamite e de nitro. A primeira somente poderá ser quebrada pulando em cima e esperar três segundos para que exploda. A última não pode ser tocada de forma alguma; irá explodir. Se Crash encontrar uma caixa “!” verde,fará com que todas as caixas de nitro da fase explodam. Quebrando todas as caixas do jogo fará com que o jogador ganhe um diamante.

Tawna Bandicoot, namorada de Crash. E Lara Croft ainda tinha dois triângulos pendurados ali naquela época…

A jogabilidade do game era bem simples em relação à seus sucessores. Nesse primeiro game Crash só podia saltar, correr e girar. Era bem fácil controlar o marsupial pelas fases que não possuiam falhas, portanto era bem difícil alguém errar e cair num buraco ou ser atingido por um inimigo por culpa do jogo. A trilha sonora também era super agradável, com músicas que até hoje são lembradas e executadas no Youtube. “Crash Bandicoot” ficou dois anos no top 20 de games mais vendidos do mercado, saindo da lista em 1998. Graças ao sucesso de vendas e popularidade do game, Crash se tornou o mascote do PlayStation e chegou a peitar os mascotes das principais concorrentes da Sony no mercado na época.

O menu original do game. Dá vontade de dar Start só de olhar
“Crash Bandicoot” é um ótimo jogo de plataforma, super divertido e muito desafiador. Ao longo das 32 fases que o jogo disponibiliza, o jogador passará muitas horas para conseguir finalizar o game com 100%. Um dos poucos pontos negativos do game é o sistema de save, pois para salvar o jogador terá sempre que depender de um Bônus Stage da Tawna. Este game foi um divisor de águas, simbolizou a transição dos jogos de plataformas 2D para o 3D. A partir daí, muitos jogos de plataforma da era Playstation foram inspirados neste game. Infelizmente nos dias de hoje, a série Crash Bandicoot foi deixada de lado pelos produtores. Porém o game ainda possui sequências no PlayStation e PlayStation 2, que vale muito a pena conferir, visto que são os melhores games do Crash.

 

E vou ali tentar fazer 100% no “Crash Bandicoot” porque quero tirar um print pra vocês depois. Fui!

Sobre o Autor

Felipe Felizardo

Jogador de gueimes, conhecedor de survival horror, pai da Cecília, Power Ranger nas horas vagas e muito rico. De saúde.

Adicionem na Xbox Live ---> FelipeZardo

Comentários

Loading Facebook Comments ...

27 Comentários

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Media Kit GameFM
Debug Mode - Podcast
GameFM Play
Mesa do Fliper






Pular para a barra de ferramentas