Início » Porquê Resident Evil 1.5 deveria ser lançado?
Curiosidades Destaque

Porquê Resident Evil 1.5 deveria ser lançado?


Todo gamer que se preze já ouviu falar na versão inacabada de “Resident Evil 2” que é o motivo de tanto alvoroço entre os fãs da série. A galera que tem saudade do antigo estilo da franquia e curiosidade de saber como seria o game se tivesse sido lançado naquele estado faz petições na internet, caça de qualquer maneira um jeito de conseguir o lançamento desse protótipo. “Resident Evil 1.5” já estava praticamente pronto em 1997 e a ponto de ser lançado quando a Capcom achou que o jogo estava ficando parecido demais com o primeiro e os fãs haviam pedido por algo novo. Com 80% do projeto concluído, “Resident Evil 1.5” foi enfiado em uma gaveta nos escritórios da Capcom e teve seu projeto reiniciado do zero. Não que a galera tenha odiado o enredo de Leon e Claire sobrevivendo em Raccoon City, tentando fugir das ameaças de Brian Irons e dos terríveis monstros presentes na cidade, mas muitos ainda se perguntam se o protótipo seria melhor do que a versão final, lançada em 1998. No vídeo abaixo Claire já estava no enredo, mas Leon ainda tinha cabelo curto.

 

 

As mudanças seriam incríveis, principalmente no enredo dos personagens e nos cenários. Leon seria um policial que já atuava em Raccoon City, diferentemente da versão final em que ele chega na cidade para seu primeiro dia de trabalho e acaba encontrando a cidade infestada. As artworks e designs de Leon mudaram muito até chegarem à versão final. No começo o policial tinha um cabelo curto e espetadinho, mas os produtores acharam que Leon estava muito semelhante à Chris Redfield, herói do primeiro game, e então resolveram dar um penteado diferente ao rapaz. No fim acabou com seu franjão de lado. Seus uniformes também mudaram muito. Leon teria um uniforme com um colete branco de uma organização anti-Umbrella, um uniforme azul mas com manga curta (ainda com cabelo espetadinho) ou calça jeans e jaqueta branca e azul. Mas felizmente acabou no uniforme azul marinho com manga branca da RPD.

Um dos designs prévios para Leon em RE 1.5. Esse outfit foi descartado dando lugar ao uniforme de polícia

 

Claire Redfield não estaria no game e sim Elza Walker, uma jovem motociclista que chega a Raccoon City para conseguir amizades e montar um grupo de motoqueiros. Mas quando ela chega a cidade está uma zona. Diferentemente de Leon, Elza teve poucos designs e em um deles chegou a ser até oficial da RPD, mas acabou virando uma motoqueira no final mesmo. De acordo com o enredo, Elza se emenda na história de Leon assim que invade a delegacia com sua moto. Ela seria mais responsável pela segurança de Sherry Birkin, assim como Claire era no game original.

Elza Walker, a motoqueira que viria no lugar de Claire

 

Vários personagens da versão final teriam funções e personalidades na trama do protótipo. O chefe de polícia Brian Irons não seria um vilão sádico e sim um homem bom que havia sido mordido por um zumbi e se encontra debilitado em seu escritório na delegacia. Marvin Branagh, o policial que é encontrado com um ferimento na barriga em “Resident Evil 2” (e por Jill em “Resident Evil 3“) estaria em perfeitas condições e seria um personagem jogável no cenário de Leon. Ada Wong se chamaria Linda e seria uma pesquisadora da Umbrella que estaria perdida na cidade em busca da saída. Robert Kendo, o dono da loja de armas que morre para os zumbis no começo do game se chamaria John e seria jogável no cenário de Elza. Sherry Birkin não teria alterações em sua personalidade ou nome, mas seria menos influente no enredo quanto acabou sendo na versão final. Annete Birkin não seria mãe de Sherry ou mulher do Birkin. Seria originalmente a namorada do cientista e ficaria perseguindo Sherry para impedir todos de pegarem o G-Virus. Roy (DJ), foi concebido pra ser um outro policial de Raccoon City. O quatro-olhos não recebeu muitos detalhes além de um sketch e uma imagem com Elza no gameplay de testes, mas poucas informações foram reveladas sobre ele. Roy seria apenas um colega de Leon na polícia.

 

Rascunhos originais dos personagens da versão 1.5

 

O jogo contaria com mais monstros como os tão falados gorilas que lutariam ferozmente contra Leon e Elza, mas acabaram sendo arrancados na versão que foi lançada. Os zumbis teriam maior variedade de aparências, como etnias, sexo, roupas, altura, uns magros e outros gordos e até zumbis mais rápidos, mas a Capcom acabou mantendo apenas cinco zumbis-modelo em “Resident Evil 2“. O número da variedade de zumbis foi diminuída sem explicação prévia da Capcom, mas o provável motivo desse corte seria o trabalhão que teriam para criar tantos designs de zumbis para seus diversos cenários. A empresa só conseguiu ter paciência para criar mais zumbis em “Resident Evil 3”, onde a variedade dependia potencialmente do cenário em que o protagonista se encontrava. William Birkin teria apenas uma forma e continuaria com o cano de metal na mão, Mr. X perseguiria os protagonistas com uma metralhadora e existiria até um monstro que era uma mistura de aranha com homem chamado Webspinner que se asemelha muito aos Brain Suckers do jogo seguinte.

Modelos iniciais da variedade de zumbis que eram esses e mais outros. Na versão final a variedade caiu pra cinco

 

A Capcom alterou drásticamente alguns cenários do game para a versão final. O estilo do cenário da RPD seria muito diferente. No protótipo o cenário se parecia muito mais com uma delegacia real do que com a versão museu do game original. Os esgotos foram mantidos em design, mas as localidades e ângulos de câmera foram mudadas. O laboratório da Umbrella permanecia com mesmo estilo, porém diferente assim como os esgotos.

Cenário da RPD jamais visto no game original. A Capcom, claro, fez mudanças

 

Muitas das armas que seriam usadas por Leon e Elza foram modificadas ou cortadas pela Capcom na versão final. Em “Resident Evil 1.5” Leon e Elza poderiam contar com granadas, artefato bélico que só seria usado bem depois em “Resident Evil 4“, lança-chamas, uma variação de pistola encontrada no início do game, a Calico que é uma adaptação da Colt do Barry do primeiro game, a Rocket Launcher de “Resident Evil” também estaria ali entre outras. Mas a Capcom cortou tudo isso.

Inventários de Leon e Elza mostram diferenças nas armas e design das munições

 

Em 2008 um homem postou na internet imagens com screenshots e artes-conceituais do game e alegou possuir uma cópia do mesmo. Milhares de fãs, isso mesmo, milhares, fizeram pedidos para que o cara dispinibilizasse o arquivo do game em ISO para que pudessem fazer o download e gravar em disco para jogar. O homem se recusou a atender os pedidos e causou muita raiva na galera que estava doida para colocar as mãos no jogo. A vontade de matar a curiosidade era maior do que o fato de saberem que o game ainda era inacabado e possuía muitos glitches, erros gráficos muito comuns em games sem término.

 

 

Anos atrás os fãs resolveram reagir à má-vontade da Capcom de disponibilizar a versão inacabada. O site Bioflames criou uma petição online que por meio de assinaturas exigia da Capcom o lançamento do protótipo como uma versão extra de algum dos games da atual geração. Mesmo recolhendo milhares de assinaturas por todo o globo, o projeto não está indo pra frente pois a Capcom nem sequer se pronunciou sobre a iniciativa. Acreditando que milagres às vezes acontecem,  o pessoal da Bioflames passou a esperar pelo momento em que alguém conseguisse vazar com o arquivo do game, mas até hoje isso não aconteceu.

A petição na página da Bioflames. Eu assinei :)

 

PETIÇÃO OFICIAL “RESIDENT EVIL RELEASING” DA GAME FM

 

Banner da petição oficial da GameFM

 

E seguindo mesmo exemplo da Bioflames, a GameFM decidiu começar uma outra petição online para solicitar, por meio da democracia gamer, o lançamento de “Resident Evil 1.5” como extra em algum game da atual ou nova geração de consoles, ou também disponibilizada como ISO para que os gamers possam comprar ou baixar e jogar em emuladores ou mídias físicas. Ajude-nos para que possamos matar essa curiosidade e descobrir como o game seria se nada tivesse sido modificado. ASSINE AQUI NOSSA PETIÇÃO OFICIAL!!

Sobre o Autor

Felipe Felizardo

Jogador de gueimes, conhecedor de survival horror, pai da Cecília, Power Ranger nas horas vagas e muito rico. De saúde.

Adicionem na Xbox Live ---> FelipeZardo

Comentários

Loading Facebook Comments ...

6 Comentários

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • gente, tenho boas nova sobre o 1.5, eu descobri onde fica a empresa playstation museum, fica la nos usa, e nao vao acreditar, eu fui la pros states, e comprei uma iso do 1.5 com os 80% completa the playstation museum por 15.000 dolares, mas eu comprei só uma cópia do original, ja to jagando aqui no ps1.é cheia de bugs.nao é mentira, é a mais pura verdade.
    brevemente irei por ele na web.
    aguardem…
    iuri.

  • Seria legal a gente ter como jogar! mas na boa algumas coisa são nada haver! oque eu gostei mesmo foi the variedade de ZOMBIES! e só! Ada boazinha, Kkkkk chega a ser hilário! mas enfim acho que toda essa mudança! teve seu lado BOM!

  • o meu 1.5 está com 80% completo, ja matei os gorilas a g anete e o william e o mrx, o crocodilo o man spider, e os chefes finais que em resident evil 2 sao as ultimas mutações de william no cd 1 e no cd2, mrx esta na sala em que em resident evil 2 está o nosso crocodilo. talvez eu bote o 1.5 meu pra download na web, isso depende da minha vontade em por essa sagrada e querida cópia pra download. mikami disse em 98 que se ele pose o 1.5 nas lojas a elza era também para ser a namorada de chris redfield, e foi pra raccoon achar o seu amado.nessa minha versão de 80% do 1.5 tem todos os personagens, inclusive o roy ele foi trocado pelo ben na versão final.

Media Kit GameFM
Debug Mode - Podcast
GameFM Play
Mesa do Fliper






Pular para a barra de ferramentas