Início » Debug Mode #20: Videogame é Cultura? – Podcast
Debug Mode Destaque Podcasts

Debug Mode #20: Videogame é Cultura? – Podcast

Novo episódio do Debug Mode, o Podcast da GameFM!

Dessa vez falamos sobre o tópico “Videogame é Cultura?”. Discutimos sobre o que leva um videogame a ser cultura, arte nos games, música, gráficos e toda a polêmica envolvendo certa declaração dada por uma certa ministra. Afinal, videogame é ou não é cultura? Confira!

Não deixe de dar sua opinião e participar nos comentários abaixo! Toda terça-feira sai um novo podcast!

E inscreva-se no canal da GameFM no YouTube para receber todas as novidades assim que elas estiverem disponíveis!

Agora temos um feed apenas para o Podcast! É só se inscrever que você receberá os novos episódios assim que eles estiverem disponíveis. http://www.gamefm.com.br/feed/debug-mode-podcast/

Estamos também no iTunes! Só procurar por Debug Mode pelo aplicativo de Podcasts que você poderá ouvir e baixar os episódios assim que eles saírem.

Para ouvir o Podcast clique no “vídeo” abaixou ou no player abaixo do YouTube. Você também pode baixar o MP3 do Podcast clicando em download.

Sobre o Autor

Alan Motta Cardoso

Tem Mestrado em Biologia Marinha mas atualmente trabalha com games. Pode isso, Arnaldo?

Comentários

Loading Facebook Comments ...

12 Comentários

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Eu aprendi mitologia com o Age of Mitologhy e inglês com GTA, dês de pequeno aprendi muitas coisas devido aos videogames que não aprendi na escola. Os jogos pricipalmente hoje em dia são um meio de entreterimento muito mais divertido, interativo e com custo/benefício melhor (acho eu) que qualquer outra mídia, essa polêmica só ta mostrando quanto pra trás o Brasil está, mas indo pra pergunta do ep de hoje, os dois jogos que mais me emocionaram foram o The Walking Dead e o Metal Gear Solid 3, e na minha opinião poucos jogos expressão melhor que videogame é cutura do que jogos com história que é o caso dos dois titulos.
    BTW o podcast de vocês está ótimo. Só gostaria de dar uma dica, voces poderiam colocar alguma transiçãoes por exemplo, do tema para os e-mails e também chamar algum convidado especial. Acho que é só abraço, keep up!

    ps: a imagem do jornal falando sobre Constantinopla era do AC revelations.

  • Xenogears, Final Fantasy 6, 7…
    chorei nos 3….

    Metal gear Saga – não conheço enredo melhor em filmes ou livros de espionagem com ficção

    Flower, Journey, Shadow of colossus.. emocionaram de verdade

    Fallout 3, resident evil 1, 2, 3, sillent hill 1,2,3, dead space… imersão sensacional…

    Zelda, final fantasys, dragon quests, grandia.. todos são obras de arte

  • A definição que tenho de cultura é de algo que reflita ou apresente os comportamentos e pensamentos de uma determinada sociedade, além de proporcionar crescimento do usuário enquanto ser humano. Definitivamente, não há como negar a capacidade dos jogos de trabalhar essas questões. Podemos citar Assassins Creed trazendo o comportamento de povos antigos, Age of Mithology contando a mitologia das antigas civilizações, entre tantos outros. Há também jogos que mostram nossas próprias ideologias do que é bom ou ruim, que nos ensinam sobre caráter, valores the sociedade, do que se vê como modelo a ser seguido, que nos inspiram. Então concordo que é indiscutível de que games são cultura. Tratando-se de arte acho que podemos afirmar com mais certeza ainda, tendo em vista todas as expressões artísticas dentro de um jogo, seu estudo, seu processo de desenvolvimento, uma vez que acredito que o "ser arte" não esteja ligado apenas ao resultado final, mas a toda a criação, à motivação daqueles que trabalham no jogo, sua dedicação, a mensagem que o jogo quer passar. Ouvir que games não são cultura é mais do que irritante, é triste. E como vocês mesmo disseram, essa visão de que jogo e animação são coisas bobinhas, não devem ser levadas à serio, só nos tem feito regredir. Fazendo uma comparação, o Japão valoriza de tal modo essa produção, seus animes, sua cultura e arte, que lá existe um museu só sobre Evangelion e um museu só dos Estúdios Ghibli, enquanto aqui o Anima Mundi é visto como "um lugar para levar seus filhinhos para brincar de animar". Agora falando de um jogo que considero um obra de arte, acho que é meio óbvio o que vou falar, mas Bazblue para mim foi o mais marcante nesse ponto. Não só por possuir uma trama envolvente e super bem elaborada, mas cada personagem tem sua personalidade bem explícita, seus pensamentos, suas próprias histórias, sua experiência de vida, suas tristezas e alegrias. Eu realmente me sentia naquele ambiente e me identificava com tudo isso em diversos personagens, me sentia cativado por suas histórias e também muito próximo deles. Mas além do quesito história, a arte do jogo é linda, o pixel art extremamente bem desenhado, o estudo feito em cima de cada quadro de cada animação, a trilha sonora magnífca (que por sinal recomendo que coloquem na rádio de vocês), as belas ilustrações contidas na galeria do jogo, o envolvimento dos desenvolvedores com a criação etc. Bem, de novo um fucking post gigantesco para o meu currículo (eu tenho que parar com isso xD). Para finalizar achei super relevante o assunto, muito bem tratado por vocês, acho que esse foi um dos podcasts mais ricos seja em nível de assunto ou de conteúdo, a cada novo podcast o trabalho de vocês fica melhor (só fico triste que os gameplays deram uma atrasada/sumida…).

  • Meu… vcs já repararam em como é possível… um ser humano genial ter sido gerado por uma porta? é isso mesmo! O Supla, ícone the música brasileira, é filho dessa songa monga the Marta Suplicy… eu, na pele do Supla, teria vergonha d dizer q sou filho dela… é triste vivermos num país q o presidente the comissão d direitos humanos é racista, homofóbico e não tem receio d tirar dinheiro d um paraplégico; num país onde o ex-presidente do senado, José Sarney, é senador por um estado dos menores IDH's do Brasil… política eu naum discuto mais, senão, vou perder a fé no ser humano.

  • Meu… vcs já repararam em como é possível… um ser humano genial ter sido gerado por uma porta? é isso mesmo! O Supla, ícone the música brasileira, é filho dessa songa monga the Marta Suplicy… eu, na pele do Supla, teria vergonha d dizer q sou filho dela… é triste vivermos num país q o presidente the comissão d direitos humanos é racista, homofóbico e não tem receio d tirar dinheiro d um paraplégico; num país onde o ex-presidente do senado, José Sarney, é senador por um estado dos menores IDH's do Brasil… política eu naum discuto mais, senão, vou perder a fé no ser humano. Sobre arte, procurem no youtube, um video fanmade do remake do zelda majora's mask suposto pro Wii U… se aquilo não for arte, eu não sei mais o q pode ser

  • A saga Metal Gear Solid fez eu chorar várias vezes principalmente no 4. Quando chego no corredor de microondas eu sempre choro (já zerei o jogo 5 vezes mais mesmo assim continuo chorando). Realmente esta saga é uma verdadeira obra de arte que espero nunca ser cagada pela Konami, O podcast ficou ótimo! Acompanho vocês desde o podcast sobre acessórios lixos mas não tinha comentado ainda porque eu escutava pelo iTunes. Seria ótimo se pudesse comentar por la. Estou aguardando o podcast sobre Silent Hill pois sou um grande fã desta serie também!

  • Fala ae galera, beleza?
    Acho que o grande problema foi a digníssima ministra falar que "game não é cultura", foi um tapa na cara dos Gamers.
    Tem um game chamado Eternal Sonata que praticamente retrata a vida do pianista e compositor Frédéric Chopin!
    Cada capítolo mostra sobre sua historia, tem algumas trilhas sonora dele e inclusive ele é um personagem jogável!
    Olha que o diretor Hiroya Hatsushiba diz :" Pessoas que jogam jogos e pessoas que amam música clássica não necessariamente compartilham os mesmos tipos de interesses. A maioria dos japoneses conhece o nome Chopin; porém, a maioria das pessoas que conhece Chopin pensa que ele é apenas um compositor ótimo sem saber mais nada sobre ele. A maioria delas ouviu as músicas de Chopin mas nem todos conseguiam dizer que eram trabalhos dele. Ao criar um mundo colorido de fantasia no sonho de Chopin, eu esperava que as pessoas se interessariam por esse jogo facilmente e também passariam a saber o quão boas são as músicas de Chopin".
    Eu me lembro do primeiro RPG que joguei na vida, o nome foi "Illusion of Gaia" para SNES, que para mim Adriano Nogueira se iguala a CT (Acho que é porque eu sou pobre e só fui jogar Chrono Trigger na versão PSX☠).
    Jovens , eu jogava aquele game com um dicionario do lado e jogava contra o tempo, pois tinha que devolver a FITA na locadora (saudades desse tempo); Me lembro que o fiinal de Illusion of Gaia é muito triste e emocionante ao mesmo tempo.
    Chrono Cross…
    Com todo o respeito ao senhores e a "comunidade Gamer", mas para mim ele é o MELHO RPG feito até hoje!
    Veja bem, o jogo tem uma trilha sonora foda pra caralho (desculpe palavrão, mas é foda mesmo), tem gráficos absurdos para época , historia absurdamente complexa (até hoje se eu pegar a wikipedia dele fico perplexo), não tem sistema de ficar evoluindo (isso foi inovador pra cacete na época), e é uma extensão do Universo do jogo Chrono Trigger.
    Acho que a maioria não gosta de Chrono Cross , por ter jogado o Chrono Trigger primeiro e achar que o Cross seria uma continuação do épico Trigger. porem eu joguei o Cross primeiro pra depois jogar o Trigger (pelo o fato citado lá em acima de ser um menino pobre etc etc), e achei o jogo foda!
    Tem vários jogos fodas, Okami, Lost Odyssey, Wild Arms e sua dificuldade insana nos puzzles etc.
    Sobre anime só tenho que falar alguns nomes… Evangelion , Cowboy bebop, Ghost the Shell, Samurai champloo , Akira, Ergo Proxy , A Viagem de Chihiro , entre outros.
    Rapaz , Cowboy Bebop tem uma final foda pra caramba e quase chorei (cheguei a coçar os olhos), um final que você diz… "porra… não vai ter continuação mesmo".
    Enfim , tudo é arte, desdo Mario time machine (odiava esse jogo) até a foto de comida no "instragrando" , mas depende muito do ponto de vista de cada um.
    Belo trabalho o de vocês , espero que vocês façam o game play de Silent Hill prometido desdo podcast 6 , desculpe pelo o post em cima da hora e não chorei no FF7, e eu quase chorei no Suikoden 2.

  • O tema acabou saindo de cultura pra arte, né? O próprio cinema demorou pra ser considerado arte pq era considerado um teatro piorado. Até q perceberam q ele poderia ter uma abordagem através de uma linguagem totalmente nova. Video-game faz o mesmo. Também é um agregado de artes visuais, musicais e que passa até por artes cênicas e literatura em alguns casos. Talvez o video-game se mostre assim daqui a um tempo. Já ouviram falar the nova classificação das 11 artes? E essa parada de ficar achando q as coisas tem q ser bonitas e/ou realistas pra serem arte já passou faz tempo. Não é mais isso q expressa a qualidade de um artista. A arte segue muito a história do mundo. Pintura abstrata e dança contemporânea podem ser até estranhas a primeira vista, mas tem seus porquês. Do mesmo modo que alguns idosos não entendem como pode-se gostar de música eletrônica e grafiti… O video-game não tem nem um século e já é clara a mudança do porquê, como e pra quem é feito. Todas as artes são entretenimento. Mas todas elas transcendem isso também. São expressões culturais humanas. O Rodrigo falou do video-game ter diferença por ter mais interatividade e tal. Eu concordo, mas não acho q seja algo especialmente do video-game. As outras artes também estão indo por esse caminho. Acho só que os video-games estão se aproveitando melhor de uma era the internet compartilhada por todos. Apesar the interatividade já estar inerente ao video-game mesmo sem existir internet… O video-game só vai ser aceito desse jeito quando na concepção das pessoas ele there esse salto de ser algo além de entretenimento. E o Rodrigo citou o jogo the Agatha Christie pra Wii, mas eu só lembro do lixoso "Murder on The Orient Express" pra PC. Do famoso video do Ebeeto com a sensacional frase: "buckets of dried shit, aprifucks, rapes, rapists and dingle berries!" Hahahahaha! Eu fico muito emocionado com as OST's. Principalmente depois de velho, vem aquela nostalgia. As trilhas de DKC, StarFox, TopGear, SoTC são de chorar mesmo. Mas um episódio q eu lembro que chorei, não de emoção, mas de raiva foi qnd eu quis virar StreetFighterII pro SNES na dificuldade máxima com 6 anos. Eu varei horas na madrugada perdendo pro Sagat continuamente e qnd finalmente o venci, o Vega deitou de primeira… As marcas dos meus dentes no controle estão lá até hoje pra provar! Hahahahaha!

Media Kit GameFM
Debug Mode - Podcast
GameFM Play
Mesa do Fliper






Pular para a barra de ferramentas