Início » [GameFM Reviews] DriveClub – Análise
Destaque Reviews

[GameFM Reviews] DriveClub – Análise

Review em vídeo:

Review escrito:

Anunciado em 20 de Fevereiro de 2013, a nova franquia de corrida da Sony para o PS4 estava prometida para ser lançada no início de 2014. Após quase um ano de atraso *please understand* o jogo finalmente saiu dia 7 de outubro. E valeu a espera?

Bem…

Primeiramente, estamos quase 1 mês depois do lançamento do jogo e nada da versão gratuita para PS Plus. Para quem não sabe, foi anunciado praticamente junto com o anúncio do game de que ele seria lançado totalmente de graça para usuários da PS Plus. Um grande atrativo para assinar o serviço. O problema é que as coisas foram mudando ao longo dos atrasos e o jogo passou de totalmente gratuito para parcialmente gratuito, para um demo glorificado, para absolutamente nada!

O culpado? Os servidores! Ah, novamente temos o lançamento de um jogo completamente arruinado por problemas de conexão com a internet. Mas, lembre-se que estamos 1 mês após o lançamento e praticamente nada mudou! O jogo está parcialmente injogável, nem o próprio nome ele honra, já que as funções de clube simplesmente não funcionam. Bom, pelo menos a parte Drive (dirigir) funciona, mas já vou falar dela com mais detalhes com suas devidas ressalvas. E a culpa não é só dos pobres servidores. Jogando um pouco você logo nota que o buraco é bem mais embaixo.

DriveClub é um jogo de corrida, que prometia ser a grande nova franquia do gênero, para bater de frente com Project Cars, Forza e até mesmo o próprio Gran Turismo, com suporte para uma série de volantes e tudo mais. Feito pela Evolution Studios, a mesma de Motorstorm, o jogo até que prometia, pois os gráficos estavam bem impressionantes e a mecânica de clubes parecia ser interessante e diferente, em um gênero que é difícil haver muita inovação se você quer apelar para o lado realista da coisa.

Os gráficos do jogo impressionam, principalmente a noite.

Graficamente o jogo impressiona. Os carros são rederizados em alto detalhe, as paisagens são lindas e a transição de dia para noite é praticamente perfeita. O reflexo do sol no seu carro e na natureza são simplesmente lindos. As vezes dá voltade de parar e ficar só olhando. Os efeitos de luz a noite são muito bonitos e o reflexo das luzes dos oponentes durante corridas noturnas impressionam em alguns momentos. Alias, ouso dizer que a melhor coisa de DriveClub são os gráficos, porque o resto realmente deixa a desejar. Mesmo assim, acho que o jogo poderia ser mais bonito. Seguindo aquela tendência maldita de downgrades pós-E3, dá pra notar que o PS4 é capaz de mais do que está sendo mostrado. Eu tive a oportunidade de joga-lo na BGS de 2013 e com certeza houve uma melhoria gráfica em relação a build que estava lá, mas não chegou nos níveis dos vídeos divulgados. Apesar de bonito, o jogo tem algumas falhas gráficas, muito serrilhado em alguns momentos (principalmente a noite). Forza Horizon 2, que é um jogo em mundo aberto, tem gráficos muito mais polidos e nítidos que o DriveClub.

O jogo ainda não tem chuva, tempestades, nem neve, e isso virá futuramente através de patch (yay…). Em termos de danos o seu carro não sofre nada espetacular, mas ganha uns amassadinhos aqui e ali. Melhor do que nada, eu acho.

Os carros sofrem danos, mas eles não afetam a performance.

E bom, falando de jogabilidade agora, DriveClub não é um jogo de simulação, longe disso. Eu classificaria ele como um arcade metido a simulador, mas bem mais voltado para o lado casual da coisa. A jogabilidade não é ruim, longe disso, mas não é nem um pouco realista. Os carros meio que ficam grudados no chão, sendo muito fácil de executar curvas, mesmo em alta velocidade. Não notei grandes diferenças de dirigibilidade entre os veículos, para ser sincero. Ainda é um jogo gostoso de jogar, e a sensação de velocidade em alguns momentos é empolgante, mas se você está procurando um jogo de simulação é melhor esperar por Project Cars. As batidas não afetam em nada o seu carro, ou seja, você pode bater o quanto quiser que seu carro estará correndo da mesma forma de antes da batida, e não há opção para ligar danos de forma realista.

A sensação de velocidade é muito boa!

E por falar nisso, para um jogo que originalmente tinha um conceito de simulação, ele tem poquíssimas opções de jogabilidade. Basicamente você só pode escolher entre marcha manual ou automatica! Não existem opções de ABS, controle de tração e estabilidade e nem nada do gênero, o que realmente me espantou muito. E nem imagino como deve ser esquisito jogar DriveClub com volante. Toda essa história de que o carro fica grudado no chão não deve combinar bem com um volante de simulação. Durante o desenvolvimento do jogo, uma série de volantes, os principais nomes do mercado, iriam ser compatíveis com DC. Só que durante o lançamento a história foi outra, e novamente o suporte completo para todos os volantes inicialmente anunciados ficaram para futuros patches. Eu tenho um Logitech G27, considerado um dos melhores volantes da lançados e não pude testar com o jogo porque o patch dele ainda não saiu. Realmente lamentável.

DriveClub tem visuais de tirar o fôlego.

E sabe outra coisa que me incomodou? DriveClub é fácil, muito fácil. O jogo possui níveis de dificuldade, mas eles só estão disponíveis no modo single race. Durante a campanha a dificuldade é definida para cada evento. Perderam uma grande oportunidade de tornar o jogo mais interessante, e por sua vez aumentar a recompensa do jogador, com modificadores de dificuldade e jogabilidade. A IA dirige relativamente bem, mas deixa a desejar. Eles sempre andam todos juntos, de um modo geral, e é bem nítido que o jogo abusa de rubberbanding (quando o CPU diminui a velocidade ou corre mais que você para sempre ficar próximo ao jogador e manter o jogo “mais equilibrado” ou totalmente injusto em alguns casos). No começo da corrida eles começam bem na sua frente, mas logo logo você alcança eles e fica em primeiro, mesmo nas dificuldades mais altas. Depois de ficar em primeiro, os oponentes não desgrudam de você, mas sempre estão a uma distância segura e raramente são agressivos contigo. Em uma corrida eu sofri um acidente, fiquei muito pra trás e mesmo assim em cerca de uma volta eu estava em primeiro de novo. E aquele mesmo esquema, assim que você fica em primeiro, eles ficam relativamente pertos de você. É estranho. Se você não entendeu garanto que quando jogar vai entender do que estou falando. Além disso eles meio que não estão muito cientes da sua presença. Já rodei na pista e eles simplesmente passam por cima de você, te ignorando.

Seleção de pistas deixa a desejar…

O jogo felizmente já vem totalmente traduzido para o português e não notei nenhum erro ou tradução esquisita. DC não possui vozes, cutscenes e nem história. É só sentar e jogar. Ele é até um pouco frio nesse aspecto, eu diria, comparado com outras séries de jogos de corrida. O jogo possui trilha sonora original composta pelo artista Hybrid. É legalzinha, mas nada de especial, até genérica, eu diria. Curiosamente a música está desligada durante as corridas por default, então se você curte correr com música (meu caso), lembre-se de ativa-la antes de começar a jogar. Algo que preciso elogiar são os loadings, que são praticamente inexistentes.

Mas e em conteúdo, o jogo faz bonito? Errr….. Vamos lá.

A seleção de carros é boa, mas estranha. Primeiro, que o jogo tem apenas por volta de 50 carros. Apesar de estarem divididos em categoria de velocidade e termos nomes de peso, muitos favoritos ficaram de fora. Segundo, espero que você goste de carros europeus, porque só tem carros europeus no jogo! Tudo bem que a Evolution Studios é um estúdio europeu, mas é realmente muito estranho ver que apenas marcas européias estão no jogo. Ou seja, nada de Honda, Nissan, Viper e coisas do gênero.

…e de carros também.

Sobre a seleção de pistas, também achei pouca coisa. E olha que estamos falando da versão completa do jogo! São apenas 5 países com uma meia dúzia de pistas cada (não contato as versões em reverso). As pistas, apesar de terem um traçado realista e serem divertidas de se dirigir, são muito genéricas no geral. Você pode resumir todas a basicamente asfalto com matinho do lado. Cada país tem uma espécie de circuito de corrida também (além dessas pistas “de rua”), mas são bem genéricos também. Não existe nenhum tipo de pista licenciada, cidades ou variação do tema “estradas nas montanhas”. Apesar das paisagens serem enormes e muito bonitas, você está permanentemente preso a um corredor com barrerias invisíveis. Mesmo onde não há proteção na pista, você bate diretamente com uma parede invisível, o que é esquisito. O jogo possui uma mecânica de “fora da pista” se você ficar muito tempo andando fora do asfalto, mas sinceramente não vi muito o propósito visto que você não tem muito para onde ir.

Mais pistas e carros virão, mas apenas por DLC pago. Yay novamente.

E se vocês acham que fui duro com o jogo até o momento, vamos lá que agora o caldo vai engrossar.

DriveClub não é só um jogo que deixa a desejar em conteúdo como também é um jogo completamente inacabado. Além de todos os problemas e coisas que serão corrigidas com patches futuramente, as principais mecânicas anunciadas não funcionam de jeito nenhum, mesmo 1 mês após o lançamento do jogo. O problema é que todas elas dependem dos servidores estarem funcionando corretamente, coisa que não está acontecendo. E pior, eles ainda não sabem quando irão corrigir. A mecânica de clubes é interessante, você cria o seu clube ou participa de algum dos amigos e juntos competem entre si ou contra outros clubes por pontos, corridas e etc. Você pode personalizar as cores e logos do seu clube baseado em uma série de opções pré-determinadas e com isso você personaliza os carros também, que ganham pinturas especiais com as cores e logo do seu clube. O problema é que isso não funciona! Eu criei o clube da GameFM (fiquei a vontade para entrarem, caso consigam), mas não consegui mudar as cores e nem logo porque o servidor não está funcionando. Inclusive a única forma de cancelar a tentativa de salvar a personalização de clube no servidor é fechando e abrindo o jogo.

Acostume-se a ver essa tela, pois você a verá muitas vezes…

Então, fui obrigado a ficar jogando com uma cor genérica que veio com a criação do meu clube e não pude fazer nada. Vale lembrar que tudo o que estou relatando e vou relatar não se resume a um problema apenas comigo, a internet inteira está reclamando e não consegue fazer nada também. Nem adicionar membros eu consegui! Já tenho praticamente nenhum amigo que caiu na furada de comprar o jogo no lançamento e os poucos que tenho não consigo adicionar ao meu clube. E o pior, com apenas um membro, o clube fica inativo, ou seja, todo o progresso, level e pontos que você acumula ficam apenas para você. Só quando o clube tem 2 membros ou mais que você começa a acumular pontos para o clube e começa a habilitar carros, pinturas especiais e etc. Ou seja, menos um incetivo para se jogar DC no momento.

Durante as corridas existem alguns pontos em que você compete diretamente com pessoas aleatórias ou do seu clube por pontos. Pode ser um drift numa curva, velocidade média em um trecho, entre outros. É uma forma interessante de temperar as corridas e com certeza uma das ideias mais legais do jogo, o problema é que ela também não funciona direito, porque depende dos servidores. E acostume-se a ver a mensagem de que os servidores de DriveClub não estão acessíveis, porque isso aparece quase o tempo todo! Muitas vezes ele fica tentando baixar a pontuação e não consegue. Ou o jogo está tentando enviar a sua pontuação ou tempo para o servidor e também não consegue. E sabem o que é pior ainda? Que tem uma galera abusando de exploits do jogo para conseguir sempre ficar em primeiro nesses desafios, principalmente nos de velocidade média. Na maioria das ocasiões eu estava enfrentando jogadores com velocidade média de 2000, 12000 e até 61000 Km/h de média! A não ser que tenham foguetes secretos para se habilitar no jogo eu não vejo como isso é possível.

…e essa também.

Outra forma de apimentar as corridas é com desafios específicos. Para cada evento existem 3 estrelas que você pode conseguir e essas estrelas são determinadas tarefas como ficar entre os 3 primeiros, tempo por volta, volta limpa, entre outros. A mecânica é bem parecida com a de Need for Speed Shift. Existe um modo desafio, que promete trazer desafios sazonais, mas obviamente ele não está funcionando também. Impressionantemente o modo online funciona… Mais ou menos. Pelo menos quando ele funciona é ótimo, mas comparado ao resto dos problemas com o jogo, o modo online até que funciona bem. Tirando a parte que tem sempre uns miseráveis que querem te tirar da pista, é possível jogar tranquilamente com pouca latência de um modo geral, mas muitas vezes a partida cai sem motivo e ocorrem os mesmos problemas de falta de sincronização com o servidor do modo “offline”. Não existe matchmaking nem customização de lobbies, o que você faz é escolher um evento e esperar o jogo organizar uma sala para você. Infelizmente é tudo predefinido pelo jogo, não tendo nenhum sistema de votação.

Mas no final das contas, DriveClub é bom? É divertido? Olha, eu me diverti, mas tenho que admitir que esses problemas de servidor e de certas mecânicas do jogo me irritaram profundamente. O jogo foi adiado diversas vezes e lançado completamente inacabado e de qualquer jeito. A versão gratuita será capada e nem há sombra de quando será liberada. Quem apostou na ideia e comprou no lançamento levou um banho de água fria com um jogo em que nem metade as funções anunciada estão funcionando corretamente.

Cuidado com o HUE no modo online.

Eu realmente peço que você fique longe desse jogo até que resolvam todos esses problemas, se é que vão conseguir resolver tudo. A não ser que você seja algum tipo de sádico ou goste de jogar dinheiro fora. Espere o jogo receber seus milhões de patches até ficar jogável e aí compre com o preço reduzido, porque duvido que esses problemas sejam resolvidos rápido.

E é impressionante como isso está virando um padrão do mercado. É quase como se eu estivesse jogando um alpha ou early access, só que pagando preço cheio e comprando como se fosse um jogo completo. Eu já posso dizer que facilmente DriveClub ganha como maior decepção do ano e sinceramente não sei qual será o futuro da franquia e da Evolution Studios. Sinceramente era melhor que eles estivessem fazendo um novo Motorstorm.

Minha nota é 4/10 para o jogo. Cruel, mas a Sony também foi cruel conosco ao obrigarem a Evolution a lançarem um jogo totalmente inacabado. E novamente repito, estamos 1 mês após o lançamento do jogo e nada foi resolvido.

De qualquer modo, eu me comprometo a fazer outro review assim que o jogo estiver funcionando totalmente, seja lá quando isso acontecer. Veremos qual nota ele poderá receber quando esse momento chegar.

Sobre o Autor

Foto de perfil de Alan Motta Cardoso

Alan Motta Cardoso

Tem Mestrado em Biologia Marinha mas atualmente trabalha com games. Pode isso, Arnaldo?

Comentários

Loading Facebook Comments ...

1 Comentário

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Último Vídeo – GameFM – YouTube

Media Kit GameFM
Debug Mode - Podcast
GameFM Play
Mesa do Fliper






Pular para a barra de ferramentas