Início » Confira o que ocorreu no Rio Indie Games 2016
Destaque Notícias

Confira o que ocorreu no Rio Indie Games 2016

Rio Indie Games mostra que há espaço para iniciativa na cidade

O Rio de Janeiro sofre um pouco em relação a eventos de games, principalmente aqueles que são voltados para a comunidade de desenvolvedores independentes. Ainda que tenhamos reuniões eventuais com produtores e estúdios, a cidade carece de algo maior.

Parece ser com esse intuito que foi criado o Rio Indie Games, novo evento que teve sua primeira edição realizada entre os dias 26 e 27 de novembro de 2016, no Imperator, no Méier. Apesar de pequenos percalços, o evento mostrou que tem bastante potencial.

Montado em espaço simpático, apesar do sol a tino na cabeça dos cariocas, o Rio Indie Games reuniu estúdios que mostraram seus jogos e também estavam competindo por uma premiação. Finalistas estavam expostos no sistema “free play”, ou seja, livre para que o público jogue, e com uma votação ao final, para eleger o vencedor da competição. Os jogos selecionador para serem exibidos no evento foram Project Neon, Quinck, Rolimã Racer, Eternal Hope, Fields of Gore, Goat to the Hills, Rumble Rumble, Sword Legacy: Omen, Warlock’s Tower, Goofy Monsters, Holodrive e Lenda dos Orixás – Okê Arô Oxóssi!.

Tivemos ainda palestras de produtores, game designers, youtubers, professores e personalidades do meio, com uma boa seleção e variedade de convidados, para agradar todos os públicos.

Além dos costumeiros estandes de venda, contamos ainda com a presença da editora RetroPunk, especializada em jogos de RPG e jogos de tabuleiro, que trouxe ainda Ramsés Sohn, diretamente de Curitiba. Ramsés é o game designer de boa parte dos jogos de mesa da empresa, como Arena Sangue e Glória, Escola de Dragões e Gangsters de RetroCity.

O mais surpreendente de tudo é que, além de bem organizado e com atrações simpáticas, o evento foi totalmente gratuito. Não era preciso pagar para entrar e nem obter convite prévio. Ainda assim, não lotou tanto quanto esperávamos, o que nos faz questionar a possível divulgação ou o interesse do público carioca no assunto.

Contudo, esse tipo de evento precisa ser incentivado, se bem realizado, justamente para “educar” o nosso público a dar valor aos desenvolvedores independentes. Não é preciso torcer para toda e qualquer produção só por ser brasileira, mas sim se interessar em ouvir o lado de quem produz e ver como eles podem agradar seu público.

Com o Rio Indie Games, a cidade dá um passo positivo a ter mais um evento de boa expressão para o mercado de jogos. Aguardamos a segunda edição e esperamos que o público possa dar valor a esse tipo de iniciativa.

Confira nossa galeria de fotos abaixo. E não deixe de conferir nosso vídeo sobre o evento acima.

Sobre o Autor

Foto de perfil de Alan Motta Cardoso

Alan Motta Cardoso

Tem Mestrado em Biologia Marinha mas atualmente trabalha com games. Pode isso, Arnaldo?

Comentários

Loading Facebook Comments ...

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Último Vídeo – GameFM – YouTube

Media Kit GameFM
Debug Mode - Podcast
GameFM Play
Mesa do Fliper






Pular para a barra de ferramentas