Destaque Reviews ReVinha

The Seven Deadly Sins: Knights Of Britannia (PS4) – Review – ReVinha

The Seven Deadly Sins: Knights Of Britannia é um game para fãs e só para fãs

The Seven Deadly Sins: Knights Of Britannia é um jogo lançado no PS4 que agrega toda a primeira fase do anime que é também conhecido como Nanatsu no Taizai no Japão e no ocidente. Este anime é um dos mais conhecidos dos últimos meses, principalmente por ter sua exibição publicada na Netflix, popular plataforma de streaming, e ter obtido algum sucesso por lá nos últimos anos – com uma segunda temporada a caminho.

Diferente de outros jogos de anime, porém, The Seven Deadly Sins: Knights Of Britannia tenta seguir um rumo diferente. Ele usa gráficos cel-shading, mas não totalmente no estilo “desenho animado”. O 3D ainda é seu forte e isso já o distancia bastante dos “concorrentes” Naruto e Dragon Ball, ainda que sejam todos da mesma casa, a Bandai Namco.

As diferenças não são apenas visuais, o jogo funciona também de forma bem distinta. Ele tem um “quê” de game de arena, apresentando combates em ambientes 3D limitados que lembram, por exemplo, os jogos da série One Piece, mas, ao mesmo tempo, possui um sistema de exploração de mapa e coleta de itens e rumores, que liberam entradas para novos caminhos e destravam personagens para seu grupo, dependendo da decisão que tomar, ou quase isso.

The Seven Deadly Sins: Knights Of Britannia não é um jogo que te dá muitas liberdades, na real. Ele é bem limitado neste sentido. Até mesmo no combate, o cenário é pequeno e por diversas vezes você vai sentir seus movimentos travados ou vai bater com a cara em uma parede invisível. A solução encontrada para conter os combates, e frustrar menos, foi limitar por tempo, mas ficou bem estranho.

Ainda assim, é possível tirar pontos bem positivos de The Seven Deadly Sins: Knights Of Britannia. É um jogo bem voltado para os fãs. Todos os personagens estão com suas vozes originais em japonês, com direito a dubladores do desenho animados, sem falar que o game segue a história do anime, com algumas cenas extras, para estender sua duração.

É interessante notar que, mesmo as cenas extras, combinam bastante com a narrativa, já que foram produzidas pela mesma equipe que desenvolve a animação de Nanatsu no Taizai. Desta forma, os jogadores se sentem ainda mais envolvidos com a história – ao menos aqueles que assistiram ao programa original.

Outro ponto interessante é que The Seven Deadly Sins: Knights Of Britannia tem modo multiplayer. Ele funciona em modo arena, com os personagens que você destravar ao longo da história. Poderia ser algo cooperativo, confessamos que seria mais divertido, mas ao menos te dá uma opção extra para usar o jogo, por mais que não seja a ideal.

A duração de The Seven Deadly Sins: Knights Of Britannia é bem adequada para um título de aventura, com alguns elementos de RPG, e sua campanha pode chegar a ter mais de 15 horas facilmente, dependendo do seu nível de “grind” – a forma como você evolui seus personagens. Então, no final das contas, é um game que vale o investimento, de forma geral.

Conclusão

The Seven Deadly Sins: Knights Of Britannia é um jogo divertido, com problemas, com bons diferenciais, mas só para fãs. Vai ser difícil atrair alguém de fora do “fandom” com este título. Talvez quando o anime for ainda mais conhecido. Ainda assim, para uma primeira tentativa, a Bandai Namco mandou bem.

 

 

Sobre o Autor

Rodrigo de Souza

Game Designer, Professor e Pai (Não nessa ordem).
Gamer também, quando dá tempo.

Comentários

Loading Facebook Comments ...

3 Comentários

Clique aqui para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Media Kit GameFM
Debug Mode - Podcast
GameFM Play
Mesa do Fliper