Destaque Notícias

Sony registra patente de tecnologia para bloquear jogos usados

A Sony pesquisou e patenteou uma nova tecnologia que pode ser usada para bloquear jogos usados. A patente, vincula os discos dos jogos a contas de usuários.

O jogos que estiverem vinculados à conta de outro usuário podem ser rejeitados. O sistema funciona, de acordo com a patente, anexando uma “tag” a cada jogo. Esta “tag” pode ser lida mesmo sem conexão à internet.

A patente não menciona qualquer sistema específico. Porém, algumas especulações passadas sugerem que a Sony esta interessada em inibir a venda de jogos usados no PlayStation 4.

Na patente, a Sony diz ainda que na indústria é importante repassar o valor das vendas para as desenvolvedoras. Se o jogo for usado, porém, as empresas não recebem nenhum dinheiro. Porém, o mercado de jogos usados faz com que os usuários eventualmente joguem títulos diferentes e experimentem novas franquias, mas que isso também não traz benefício imediato.

Ainda no texto, a empresa diz que se um usuário compra um jogo usado, ele deixa de comprar o jogo novo, fazendo com que a desenvolvedora do jogo deixe de ganhar o dinheiro que ganharia se o jogo fosse novo.

A Sony ainda diz que a patente efetivamente suprimiria o mercado de jogos usados se for utilizada. A tecnologia também pode ser aplicada em outras formas de conteúdo eletrônico como filmes e música. Ou seja, nada de emprestar CDs, DVDs ou Blu-Rays daqui pra frente.

A patente foi aberta em setembro e publicada hoje. O registro não significa necessariamente que a empresa vai realmente bloquear ou de alguma forma proibir os jogadores de jogar jogos usados no PS4 ou qualquer outro aparelho.

O mercado de jogos usados (que é muito grande nos EUA) tem sido alvo de muita polêmica nos últimos tempos, com algumas empresas fazendo forte campanha contra a venda destes jogos. Entre aqueles que deram contra o mercado de jogos usados estão Rasmus Hojengaard, da Crytek; Patrick Bach, produtor executivo de Battlefield 3; Richard Browne, ex-executivo da THQ; David Braben, criador de Elite; Jameson Durall, da Volition e Denis Dyack, fundador da Silicon Knights.

Mas nem todos são contra o mercado de games usados. Matthew Karch, CEO da Saber Interactive disse que bloquear jogos usados seria injusto. Adam Badowski, da Projekt Red (de Witcher), também disse que bloquear jogos usados pode ser uma coisa ruim.

Essa é uma discussão que ainda vai longe. A maior revendedora de games do EUA, a GameStop tem boa parte de sua receita vinda de jogos usados. A GameStop já tomou uma posição de boicotar as empresas que tentem estimular as vendas digitais ou dificultar a venda de usados.

Vamos ver o que sai daí, mas é preocupante a situação…