Connect with us

O que está procurando?

Destaque

CEO da Crytek explica porque não lançou Crysis 3 para Wii U

Crysis 3 já estava rodando no Wii U, mas não deveria. O CEO da Crytek, Cevat Yerli explicou que a falta de suporte da Electronic Arts ao Wii U efetivamente matou o projeto.

 

crysis_3_wii_u

 

Crysis 3 já estava rodando no Wii U, mas não deveria. O CEO da Crytek, Cevat Yerli explicou que a falta de suporte da Electronic Arts ao Wii U efetivamente matou o projeto.

“O jogo já estava rodando no Wii U,” disse Yerli. “Estávamos muito perto de lança-lo. Mas houve uma falta de acordo entre a Nintendo e a EA no sentido de lançar o jogo. Como nós, como empresa, não podemos lançar para o Wii U sozinhos (não temos uma licença de publishing), Crysis 3 no Wii U foi engavetado.”

Apesar a afirmação, o jogo nunca foi uma certeza para o Wii U. Em maio do ano passado, o diretor criativo da Crytek Rasmus Hoejengaard disse que “não havia possibilidade” de Crysis 3 sair para o Wii U.

Apenas 2 meses depois, Yerli deixou claro que o jogo poderia rodar no Wii U, mas acabou por revelar em Janeiro, que não lançaria para o console.

Yerli descreve Crysis 3 como a “obra-prima” da Crytek. Ele disse que o jogo é tecnicamente e criativamente superior aos anteriores, mas disse que o projeto recebeu um “critical hit” por conta da “fadiga” dos gamers, entre outros problemas.

 

Advertisement. Scroll to continue reading.
1 Comment

1 Comment

  1. João Vitor Souza Ribeiro

    5 de março de 2013 at 01:30

    De boa… Ninguém tem mesmo :.sdds nintendinho.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rádio GameFM

Twitch

Você também pode gostar

Destaque

Após a nossa apresentação, aqui estão os resultados do GameFM Awards 2020 (assim como dos sorteios)!

Destaque

O grande momento chegou. Hora de terminarmos Shadow the Hedgehog e obtermos todas as respostas (ou não)!

Destaque

Último final para chegarmos no Last Story! Teremos mais surpresas?

Destaque

Falta pouco para terminarmos, mas isso não quer dizer que será menos sofrido.

Advertisement