Connect with us

O que está procurando?

Notícias

Entenda um pouco mais sobre a polêmica envolvendo o Nintendo Girls Club

A um tempo atrás, foi lançado o canal Nintendo Girls Club, voltado para as meninas gamers, mas que está causando mais polêmica do que deveria. Entenda mais em:

A Nintendo lançou a cerca de 1 mês, no Reino Unido, um canal direcionado para gamers do sexo feminino que vem dando o que falar desde então. Vários gamers de ambos os sexos ficaram indignados com o canal, alegando que ele vem estereotipando não só as mulheres gamers como os próprios jogos.

O Canal Nintendo Girls Club, como diz em sua descrição, é voltado especialmente para meninas com as novidades do mundo gamer.  Apresentado por Mandy e Jorgie Porter, o canal tem a maioria de seus vídeos com mais dislikes do que likes e nenhum comentário.

No vídeo a baixo a atriz britânica Jorgie Porter, em seu quarto super fofo, joga Animal Crossing: New Leaf e mostra como você pode decorar a sua casa e enchê-la de rosa e fazer compras em uma boutique, como se esses fossem os pontos mais importantes  para as gamers.

Em uma matéria publicada pelo site Yahoo Shine, que é justamente voltado para o público feminino, uma leitora disse que se sentiu envergonhada de ter assistido ao Nintendo Girls Club.  Além disso Jenny Haniver, fundadora da comunidade dedicada a gamers do sexo feminino, Not In the Kitchen Anymore, disse:

“Muitas empresas de videogames querem atender a mulheres, mas eles não sabem como. Só que você não pode simplesmente pintar tudo de rosa e adicionar pôneis e um shopping e esperar que as meninas fiquem animadas”.

Ao meu ver, como mulher e gamer, a Nintendo deu um tiro no próprio pé apesar de ter a melhor das intenções. Não é o fato de um jogo ser fofinho, cor de rosa ou cheio de unicórnios que faz com que o público feminino se sinta atraído, mesmo que exista este nicho não são essas as características que resumem o público gamer do sexo feminino.

3 Comments

3 Comments

  1. Henrique Oliveira Almeida

    Henrique Oliveira Almeida

    25 de fevereiro de 2014 at 19:37

    Não que esteja impondo um estereotipo. Simplesmente o programa pode ter sido feito para as meninas mais novas. Aliás é o mais comum garotas bem novas gostarem de rosa, enfeitar tudo e etc. Hoje não se pode fazer mais nada em relação a algum sexo, que já vem milhares julgar como “Estão impondo que garotas tem que ser assim e garotos assim”.

    • Leon D. Galeti

      Leon D. Galeti

      26 de fevereiro de 2014 at 15:38

      Cara, não tiro sua razão, MAS, temos que concordar que o projeto todo deveria ser muito mais bem trabalhado e pensado; tudo tem que ser observado, fazer um canal expondo esses tipos de características nos tempos de hoje… é claro que ia dar merda.
      Jenny Haniver e Melissa Martins dizem a verdade maior na matéria do GameFM.

  2. Bruno Zucchi

    Bruno Zucchi

    26 de fevereiro de 2014 at 22:01

    Realmente é um canal querendo mostrar para garotas pequenas que nao gostam de video game, alguns atrativos diferentes, para perder o preconceito, elas que depois podem vir a jogar jogos mais serios.
    Se voce é uma mulher e curte games normais, ignore o canal.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rádio GameFM

Twitch

Você também pode gostar

Curiosidades

A trilha sonora completa de Forza Horizon 5 foi finalmente revelada oficialmente e nós da GameFM fizemos uma lista especial com todas elas para...

Destaque

Após a nossa apresentação, aqui estão os resultados do GameFM Awards 2020 (assim como dos sorteios)!

Destaque

O grande momento chegou. Hora de terminarmos Shadow the Hedgehog e obtermos todas as respostas (ou não)!

Destaque

Último final para chegarmos no Last Story! Teremos mais surpresas?

Advertisement