Notícias

Dicas para iniciantes em jogos de estratégia em tempo real

Jogos de estrategia em tempo real foram e ainda são um grande expoente no mundo dos games - Fonte: Nuclear Dawn by InterWave Studios

 

Os jogos de estratégia em tempo real não são novidade; desde o surgimento de títulos hoje considerados clássicos, como WarCraft (1994) e Command and Conquer (1995), há mais de 25 anos, esse segmento ganhou proporções enormes e se tornou um nicho por si só dos games, ao lado de FPS, RPG, esportes, e, muito mais tarde, Battle Royale, entre tantos outros.

Mesmo presente há tanto tempo, os jogos de estratégia em tempo real continuam tão ou mais populares do que quando começaram a surgir, e por isso as pessoas se interessam por eles até hoje. Disponíveis tanto em versões online, para jogar com e contra outras pessoas, quanto off-line, no qual joga-se sozinho com a máquina, os games de estratégia talvez nunca deixem de ter fãs.

Além de ser fã, porém, é preciso ser um jogador inteligente para aproveitar ao máximo a diversão que o jogo pode proporcionar. A fanbase é fiel e nem sempre é fácil entrar nesse nicho, por isso saber por onde começar e crescer na prática é a melhor tática

Adaptabilidade é tudo

Os jogos de estratégia em tempo real têm como característica comum entre si o fato de haver um mundo a ser explorado, inimigos a serem derrotados e recursos a serem geridos. Isso quer dizer que o primeiro trabalho do jogador é analisar o que está ao seu redor e, principalmente, saber se adaptar às condições impostas.

Um jogo que caiu nas graças é o WarCraft III, lançado em 2002 e jogado até hoje. Foi dele que nasceram, por exemplo, DOTA2 e World Warcraft, jogados a nível profissional hoje nos esports, incluindo em competições com prêmios milionários, tão grandes quanto ou até maiores do que grandes campeonatos esportivos tradicionais.

Não importa o game em si, o que essencial é entender alguns pontos em comum para todos os jogos de estratégia em tempo real, sendo que o primeiro deles é a necessidade de considerar outras forças na jogabilidade para poder ter sucesso.

O ambiente é hostil, os inimigos estão à espreita e cabe ao jogador saber não apenas como, mas quando enfrentá-los. Um ataque feito na hora errada pode custar o sucesso de toda uma campanha, assim como uma defesa mal montada pode significar a perda da guerra e o temido game over.

Gerenciando seus recursos

Jogos de estratégia online são complexos porque, diferente de um jogo de esporte ou de tiro, nos quais o ambiente em si oferece pouco ou nenhum recurso, é necessário prestar atenção ao que a natureza do game tem a oferecer: dinheiro/objetos de valor, matérias-primas, itens que podem ser úteis e mais.

No WarCraft, por exemplo, é impossível vencer se o jogador não souber utilizar, antes de mais nada, o ouro e a madeira que podem ser extraídos diretamente do mapa (através de minas e árvores, respectivamente). São esses recursos que permitem construir a cidade, melhorar suas defesas, criar, treinar e equipar seu exército e, virtualmente, fazer tudo para que a sociedade prospere.

Um paralelo inteligente é com os jogos de cassino ao vivo, nos quais o jogador precisa gerenciar seu ganhos e perdas conforme a partida se desenvolve, sob risco de quebrar antes de conseguir vencer alguma coisa. O uso inteligente dos recursos, estratégia com possibilidade readaptação e, claro, um pouco de sorte são a base para a vitória em ambos os casos.

Simuladores antigos como RollerCoaster Tycoon, Zoo Tycoon e Sim City também aplicam a mesma lógica, mas é nos jogos de guerra em que essa necessidade se vê mais acentuada, porque há um inimigo cujo objetivo é destruir o jogador.

Saiba seus limites

Nos jogos de guerra, mais importante do que como guerrear, é quando guerrear, e também saber quais peças usar. Cada jogador adota uma estratégia distinta e precisa entender até onde pode ir sem correr riscos desnecessários – ou, melhor ainda, saber até que ponto vale a pena correr riscos.

Jogos de estratégia em tempo real, via de regra, permitem ao usuário controlar o nível de jogo, o que na prática significa controlar a dificuldade do inimigo a ser enfrentado e/ou a disponibilidade de recursos durante o jogo. Começar por baixo e ir subindo aos poucos, por mais frustrante que possa parecer aos mais competitivos, pode ser a forma mais saudável de chegar longe.