Connect with us

O que está procurando?

GameFMGameFM

Análises

Assassin’s Creed Mirage – Análise

Assassin’s Creed Mirage é o mais novo título da renomada franquia, e chega para comemorar os 15 anos de Assassin’s Creed. Prometendo uma experiência nostálgica que remete ao primeiro jogo, será que ele realmente se destaca? Uma experiência linear ainda tem espaço após a franquia se tornar um RPG? Confira na nossa análise!

Quando Assassin’s Creed Mirage foi anunciado, fui tomado por uma sensação de nostalgia, lembrando da época em que a franquia ainda estava focada no stealth, e também da estética específica dos primeiros jogos. Como um jogador que não é dos maiores fãs dos atuais Assassin’s Creed por serem mais voltados para o RPG, fiquei feliz com a possibilidade de reviver boas memórias do passado da franquia. A experiência foi interessante, mas deslizes foram cometidos no percurso.

A história de Basim

Nossa jornada começa direto ao ponto: Basim, nosso protagonista, e sua amiga Nehal, planejam furtar um precioso objeto do califa, mas acabam assassinando o líder no processo. Reconhecendo o potencial de Basim, Roshan, um importante membro dos Ocultos, oferece ajuda e um novo lar, livrando o novo assassino da enrascada em que se meteu. Assim começa a longa jornada de Basim para enfrentar os opressores de Bagdá.

Basim e Roshan são bons personagens. O protagonista possui uma história misteriosa ao seu redor, com pouco revelado sobre seu passado ou os pesadelos que o atormentam. Roshan, mestre dos assassinos, é uma mulher de personalidade forte e serve como uma líder para Basim. No entanto, Assassin’s Creed Mirage enfrenta um problema significativo: a falta de personagens marcantes.

Basim e Roshan, os personagens mais interessantes de Assassin’s Creed Mirage / Reprodução: Autor

Durante minha jornada de pouco mais de 15 horas até o fim da campanha, fiquei impressionado negativamente com a falta de personagens importantes ou memoráveis. Algo comum em outros Assassin’s Creed, sejam figuras históricas ou personagens originais, sempre foram os personagens marcantes, mas neste título isso pouco existe. Ninguém é desenvolvido o suficiente para fazer o jogador se importar, e não há qualquer tentativa de criar conexões emocionais entre nós e os personagens, que parecem vazios e sem alma.

Outro ponto que pode irritar alguns é a falta de trechos de gameplay nos dias atuais. Em títulos anteriores, sempre tivemos momentos em que saímos do Animus e voltamos ao presente, servindo como uma forma de unir todos os títulos da franquia num único universo. Em Mirage, não há qualquer menção aos tempos presentes, sendo uma oportunidade perdida de desenvolver ainda mais a lore da franquia.

Dervis parecia ser um personagem importante para Basim, mas se tornou só um simples comerciante, um exemplo de péssimo aproveitamento / Reprodução: Autor

Gameplay: o ponto forte

Assassin’s Creed Mirage se desprende das amarras do RPG e volta ao estilo mais clássico, focando bastante no stealth, algo que muitos fãs já pediam há anos. As missões do jogo, no geral, desencorajam o jogador de procurar combate e oferecem diversas opções no cenário para manter Basim nas sombras. As missões envolvendo os chefões da Ordem, por exemplo, oferecem diversas maneiras de serem solucionadas, cabendo ao jogador explorar o ambiente para encontrar diferentes formas de cometer o assassinato.

Apesar do combate não ser a melhor opção neste jogo, há ferramentas que podem ajudar. Uma roda de itens foi introduzida, semelhante a de outros jogos. Ao abri-la, o tempo fica em câmera lenta, permitindo escolher o item desejado. Esses itens podem ser desbloqueados através da árvore de habilidades e são muito úteis, auxiliando o jogador a terminar uma missão sem ser notado pelos guardas, por exemplo.

Roda de itens / Reprodução: Autor

A polêmica mecânica “foco de assassino” causou burburinho quando foi exibida pela primeira vez. Basim pode entrar em câmera lenta e selecionar um número limitado de inimigos para atacar, enquanto se teleporta. Inicialmente, pareceu uma trapaça, mas ao experimentar a mecânica, percebi que é divertida, além de não estar disponível a todo momento. A quantidade de inimigos que podemos atacar com o foco de assassino é limitada, principalmente devido ao alto número de guardas em Bagdá. No fim, acabou sendo uma mecânica válida, e não há nada de errado nela.

E não podemos esquecer, é claro, do parkour, um dos pontos mais importantes da franquia Assassin’s Creed. Neste jogo, o parkour exige mais precisão, com locais de salto e escalada mais limitados em relação aos títulos anteriores, exigindo mais atenção do jogador. Embora a movimentação não seja tão realista, sinto que esse é o melhor sistema de parkour desde Assassin’s Creed Unity, que oferecia uma experiência mais lenta e cadenciada.

O ambiente de Assassin’s Creed Mirage foi muito bem construído pensando no parkour / Reprodução: Autor

Linearidade vs. Liberdade

É nesse momento que eu “quebrei a cara”: a linearidade não casa mais tão bem com Assassin’s Creed. Sempre fui contra o amplo mundo aberto dos jogos anteriores, das mais de 50 horas para finalizar a campanha e das infinitas missões secundárias, mas ao jogar Assassin’s Creed Mirage, posso dizer que senti saudades de tudo isso. Ainda sou contra o tamanho exagerado dos games, mas algumas características se tornaram definitivas, e não consigo mais ver um jogo da franquia sem elas.

As missões de Mirage, como esperado, são extremamente lineares. Vá até algum local, descubra pistas e mate uma certa pessoa. Até o fim do jogo, nos deparamos com esse mesmo padrão, sem exceções. Apesar de preferir este estilo em relação aos colossais mundos abertos, acredito que a linearidade extrema não é o caminho certo para a franquia, visto que a experiência ficou relativamente cansativa. Pelo menos, durante as missões, a história é diferente, visto que temos diversos meios de atingirmos nosso objetivo através do stealth. Portanto, apesar de cansar com o tempo, as missões ainda podem ser divertidas.

Vá até lá e mate aquele cara, a missão mais comum de Assassin’s Creed Mirage / Reprodução: Autor

Bagdá é incrível, mas personagens nem tanto

Como todo jogo da Ubisoft nos últimos anos, a ambientação de Assassin’s Creed Mirage é incrível. Bagdá é um deleite para os olhos e, por ser um mapa mais fechado, possui ainda mais detalhes em relação aos jogos anteriores. Embora não esteja no nível de realismo de Assassin’s Creed Unity, os cenários são muito bonitos e acurados com a cultura da cidade. Minha experiência na qualidade Ultra no PC foi ótima, mas ainda há algo que me incomodava: os personagens.

Se os gráficos são impressionantes, os personagens são o completo oposto. Acredito que por conta do menor investimento no título, faltou mais capricho na modelagem. As expressões faciais são pobres e pouco demonstram as emoções dos personagens, e unidas a dublagem em português não muito boa – provavelmente afetada pela pandemia e home office –, se tornam um dos pontos mais fracos de Assassin’s Creed Mirage.

Bagdá é um local incrível / Reprodução: Autor

Uma experiência nostálgica, mas que poderia ser mais caprichada

No fim das contas, Assassin’s Creed Mirage conseguiu o que queria: apelar para a nostalgia do primeiro título da franquia. Linearidade, foco em stealth, um mapa mais fechado e uma campanha mais curta, tudo remete ao primeiro game, mas assim como lá em 2007, faltou mais capricho e polimento. Certamente a experiência vai agradar os que sentem falta da antiga vibe da franquia, mas talvez não seja uma experiência muito marcante. Ao jogar, lembre-se que é um produto de menor investimento e menor preço. Nota final: 7.5/10.

Prós:

Advertisement. Scroll to continue reading.
  • Ambientação de Bagdá é incrível
  • Basim é um bom protagonista
  • Um dos melhores stealths da franquia
  • Ótimo sistema de parkour
  • Variedade de soluções para as missões

Contras:

  • Falta de personagens marcantes
  • Expressões faciais de baixa qualidade
  • Dublagem fraca
  • Linearidade pode ser cansativa

Assassin's Creed Mirage: Assassin’s Creed Mirage conseguiu o que queria: apelar para a nostalgia do primeiro título da franquia. Linearidade, foco em stealth, um mapa mais fechado e uma campanha mais curta, tudo remete ao primeiro game. Porém, assim como lá em 2007, faltou mais capricho e polimento. Certamente a experiência vai agradar os que sentem falta da antiga vibe da franquia, mas talvez não seja uma experiência muito marcante. mestrebuda

7.5
von 10
2024-06-24T21:45:08-0300
Comments

Rádio GameFM



Histórico

YouTube

Twitch

 

 

GameFM Lives – YouTube

RatingGame titleReview published
10/10Mullet MadJack – Análise21 de maio de 2024
10/10Persona 518 de abril de 2017
10/10Resident Evil 7: Biohazard23 de janeiro de 2017
10/10Uncharted 4: A Thief's End17 de agosto de 2016
9.5/10Uncharted: The Lost Legacy19 de outubro de 2017
9.5/10Child of Light11 de maio de 2014
9/10Manor Lords (Acesso Antecipado)24 de abril de 2024
9/10Phantom Dust28 de fevereiro de 2024
9/10Celeste16 de março de 2018
9/10Dragon Ball FighterZ5 de fevereiro de 2018
9/10L.A. Noire (Switch)6 de dezembro de 2017
9/10South Park: A Fenda que Abunda Força20 de outubro de 2017
9/10Gundam Versus14 de outubro de 2017
9/10Mario + Rabbids Kingdom Battle2 de outubro de 2017
9/10Destiny 220 de setembro de 2017
9/10Splatoon 22 de agosto de 2017
9/10Horizon Zero Dawn16 de março de 2017
9/10Yakuza 018 de fevereiro de 2017
9/10Final Fantasy XV16 de janeiro de 2017
9/10Pokémon Sun & Moon29 de novembro de 2016
9/10World of Final Fantasy25 de novembro de 2016
9/10The King of Fighters XIV24 de agosto de 2016
9/10Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm 47 de março de 2016
9/10This War of Mine5 de dezembro de 2015
9/10SOMA14 de novembro de 2015
9/10Undertale27 de outubro de 2015
9/10The Last of Us13 de dezembro de 2013
9/10BioShock Infinite17 de abril de 2013
8.5/10Senua's Saga: Hellblade II23 de maio de 2024
8.5/10Voodoo Vince: Remastered26 de fevereiro de 2024
8.5/10Arzette: The Jewel of Faramore26 de fevereiro de 2024
8.5/10DOOM (2016) (Switch)16 de janeiro de 2018
8.5/10Assassin's Creed: Origins8 de dezembro de 2017
8.5/10Hellblade: Senua's Sacrifice26 de setembro de 2017
8.5/10Mega Man Legacy Collection 214 de setembro de 2017
8.5/10For Honor21 de fevereiro de 2017
8.5/10Ultimate Marvel vs. Capcom 35 de dezembro de 2016
8.5/10Attack on Titan28 de novembro de 2016
8.5/10Watch Dogs 227 de novembro de 2016
8.5/10Pokémon Go21 de outubro de 2016
8.5/10NBA 2K1720 de outubro de 2016
8.5/10Overwatch2 de agosto de 2016
8.5/10Guitar Hero Live20 de maio de 2016
8.5/10Street Fighter V15 de fevereiro de 2016
8.5/10Wolfenstein: The New Order1 de junho de 2014
8/10The Hungry Lamb: Traveling in the Late Ming Dynasty9 de junho de 2024
8/10The Crew Motorfest2 de junho de 2024
8/10Evil West24 de março de 2024
8/10Far Cry 531 de maio de 2018
8/10Scribblenauts Showdown29 de março de 2018
8/10Sword Art Online: Fatal Bullet16 de março de 2018
8/10Payday 2 (Switch)27 de fevereiro de 2018
8/10Just Dance 20188 de dezembro de 2017
8/10Terra Média: Sombras da Guerra9 de novembro de 2017
8/10Observer19 de outubro de 2017
8/10Utawarerumono: Mask of Truth1 de outubro de 2017
8/10Collar x Malice4 de setembro de 2017
8/10Kona5 de maio de 2017
8/10LEGO Worlds30 de abril de 2017
8/10Tom Clancy's Ghost Recon Wildlands30 de março de 2017
8/10Deus Ex: Mankind Divided10 de dezembro de 2016
8/10Eagle Flight3 de dezembro de 2016
8/10Just Dance 201726 de novembro de 2016
8/10Hitman: The Complete First Season25 de novembro de 2016
8/10LEGO Star Wars: O Despertar da Força9 de agosto de 2016
8/10Dark Souls III2 de maio de 2016
8/10Hitman GO: Definitive Edition13 de abril de 2016
8/10The Division14 de março de 2016
8/10Digimon Story: Cyber Sleuth22 de fevereiro de 2016
8/10Unravel14 de fevereiro de 2016
8/10Mega Man Legacy Collection27 de agosto de 2015
8/10Castle of Illusion (2013)20 de dezembro de 2013
7.5/10Anger Foot13 de julho de 2024
7.5/10Assassin's Creed Mirage24 de junho de 2024
7.5/10Monster Hunter Stories21 de junho de 2024
7.5/10Lightyear Frontier (Acesso Antecipado)18 de março de 2024
7.5/10The Elder Scrolls V: Skyrim (Switch)27 de fevereiro de 2018
7.5/10Bad Apple Wars26 de outubro de 2017
7.5/10Night Trap 25th Anniversary Edition14 de outubro de 2017
7.5/10Mafia III9 de dezembro de 2016
7.5/10Batman: The Telltale Series1 de dezembro de 2016
7.5/10Tales of Zestiria23 de maio de 2016
7.5/10Sébastien Loeb Rally Evo12 de maio de 2016
7.5/10Hitman (2016)4 de abril de 2016
7.5/10Far Cry Primal 29 de fevereiro de 2016
7.5/10Assassin's Creed IV: Black Flag25 de maio de 2014
7/10RKGK / Rakugaki16 de junho de 2024
7/10Dying Light 2 Stay Human9 de maio de 2024
7/10No Rest for the Wicked (Acesso antecipado)27 de abril de 2024
7/10Esquadrão Suicida: Mate a Liga da Justiça22 de fevereiro de 2024
7/10The Seven Deadly Sins: Knights Of Britannia16 de março de 2018
7/10Digimon Story Cyber Sleuth Hacker’s Memory31 de janeiro de 2018
7/10Star Wars Battlefront 24 de dezembro de 2017
7/10Eliosi's Hunt26 de outubro de 2017
7/10Marvel vs. Capcom: Infinite7 de outubro de 2017
7/10Drive Girls21 de setembro de 2017
7/10NBA 2KVR Experience3 de janeiro de 2017
7/10Steep2 de janeiro de 2017
7/10Running With Rifles28 de novembro de 2015
7/10Alien Shooter: Revisited21 de novembro de 2015
7/10Kingdom7 de novembro de 2015
6.5/10Need for Speed Payback24 de janeiro de 2018
6.5/10Sonic Forces20 de dezembro de 2017
6.5/10Absolver20 de outubro de 2017
6.5/10Drakengard 323 de junho de 2014
6.5/10Yaiba: Ninja Gaiden Z4 de maio de 2014
6/10Batman Arkham VR2 de dezembro de 2016
5/10Creeping Terror6 de dezembro de 2017
4/10DriveClub5 de novembro de 2014
3/10Redfall4 de maio de 2023

Advertisement
ABRIR RÁDIO
FECHAR RÁDIO